Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... Fazendo História Nova: Independência dos EUA e da América Espanhola

domingo, 3 de abril de 2011

Independência dos EUA e da América Espanhola


13 Colônias Inglesas
                Após um século do início da colonização inglesa, já viviam nas 13 Colônias mais de dois milhões de pessoas, com certo grau de independência em relação à metrópole, o que possibilitou um desenvolvimento econômico considerado especialmente nas colônias do norte devido ao comércio triangular.
                As leis inglesas de navegação não impediam o desenvolvimento da colônia porque não eram aplicadas. Mas quando o comércio colonial começou a concorrer com o comércio metropolitano fez a Inglaterra mudar de ideia.
                Outro fato importante contribuiu também, foi a Guerra dos Sete Anos (1756-1763), entre Inglaterra e França. Vencedora, a Inglaterra se apossou de grande parte do Império Colonial Francês, especialmente terras a oeste das treze colônias americanas.
Endividados pelos gastos com a guerra, os ingleses para compensar o prejuízo, decidiram aumentar os impostos das 13 colônias. O parlamento inglês aprovou uma série de leis chamadas pelos colonos de Leis Intoleráveis. Eram elas:
·         Lei do açúcar;
·         Lei do selo;
·         Lei do chá.
                Em 1774, os representantes das colônias organizaram o Primeiro Congresso da Filadélfia exigindo que as Leis Intoleráveis fossem revogadas, o que não aconteceu. Formaram então comitês pró-independência em todas as cidades.
No dia 4 de julho de 1776, os colonos resolveram romper definitivamente com a Inglaterra, proclamando a sua Independência. Iniciava-se uma guerra contra os ingleses que contou com o apoio de tropas espanholas e francesas.
Em 1781 as tropas coloniais e francesas derrotaram os ingleses na Batalha de Yorktown e em 1783 foi assinado o Tratado de Versalhes, segundo o qual a Inglaterra reconhecia a independência das treze colônias, agora Estados Unidos da América.
Em 1787, os Estados Unidos promulgaram sua constituição com características iluministas como a garantia de propriedade privada, opção por uma república federativa e divisão em três poderes (executivo, legislativo e judiciário). Ficou mantida porém a escravidão dos negros que levariam os EUA a uma guerra civil, anos depois.


América Espanhola
                As mudanças efetuadas pela Espanha em sua política colonial possibilitaram o aumento do lucro da elite criolla na América, no entanto, o desenvolvimento econômico ainda estava muito limitado por várias restrições ao comércio, pela proibição de instalação de manufaturas e pelos interesses da burguesia espanhola, que dominava as atividades dos principais portos coloniais.
                Os criollos enfrentavam ainda grande obstáculo à ascensão social, na medida em que as leis garantiam privilégios aos nascidos na Espanha (os chapetones). Os cargos políticos e administrativos, as patentes mais altas do exército e os principais cargos eclesiásticos eram vetados à elite colonial.
                Soma-se à situação sócia econômica, a influência das ideias iluministas, difundidas na Europa no decorrer do século XVIII e que tiveram reflexos na América.
                Mas as guerras Napoleônicas e a invasão da Espanha por tropas francesas foram determinantes para as rebeliões que levaram a independência das colônias espanholas.
Enfraquecida pela guerra na Europa, a metrópole viu a investida britânica e norte-americana pela expansão de seus mercados consumidores sobre as colônias.
                
Os dois dos maiores líderes criollos da independência foram Simon Bolívar e José de San Martin. Organizando exércitos pelas porções norte e sul da América, ambos destacaram-se na proclamação de independência de vários países latino-americanos.
                
                 São características da independência da América Espanhola:
·         a grande participação popular, porém sob a liderança dos criollos;
·         o caráter militar, envolvendo anos de conflito com a Espanha;
·         a fragmentação territorial, divisão em vários países;
·         adoção do regime republicano - exceção feita ao México.

Nenhum comentário:

Postar um comentário